Mundo precisa de várias tecnologias para combater aquecimento

REUTERS para JB On Line

GENEBRA – Não há uma ’solução mágica’ para resolver todos os desafios que o mundo enfrenta na área de energia, mas é preciso desenvolver uma série de tecnologias para cortar as emissões de dióxido de carbono (CO2), disse na sexta-feira o chefe da Agência Internacional de Energia (AIE). Claude Mandil, diretor-executivo da AIE, lembrou que a previsão é que o consumo de energia suba quase 50 por cento até 2030, sendo que a principal fonte dessa energia é a queima de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão de gás natural. Mas, de acordo com ele, essa situação não é sustentável.

O mundo está produzindo cerca de 25 bilhões de toneladas de CO2 por ano, e essa quantidade cresce cerca de 1 bilhão de toneladas a cada dois anos, de acordo com Mandil. Ele disse que a meta deve ser eliminar 1 bilhão de toneladas de emissões de CO2 por ano.

– Podemos ter um futuro com energia sustentável a longo prazo com tecnologias conhecidas e a um custo que não está fora de alcance – disse ele num fórum da ONU sobre políticas de energia sustentável.

A queima dos combustíveis fósseis gera o CO2, um gás ligado ao efeito-estufa e ao aquecimento do planeta. Mandil disse que é preciso promover fontes mais limpas de energia, além dos esforços para conter as emissões.

‘- Não há solução mágica. Nada pode ser resolvido só com uma tecnologia.’

Ele citou como alternativas a substituição de usinas termelétricas por usinas de emissão zero, usando a energia solar, eólica, nuclear, além da iluminação mais eficiente e da captação e armazenamento de carbono (CCS), que podem ajudar a reduzir as emissões de CO2.

– Mas tememos que, em 2030, as tecnologias de captação e armazenamento de carbono não estejam disponíveis a preços baixos ou em larga escala – disse ele.

Essa tecnologia pode contribuir de forma significativa para uma redução da emissão de CO2 até 2050, afirmou Mandil. A AIE, com sede em Paris, assessora 26 países industrializados no que diz respeito à política do setor energético. Mandil também falou sobre os biocombustíveis, mas voltou a mencionar a questão do custo.

– Não será possível mantê-los sustentáveis no futuro com subsídios.

O Brasil e os Estados Unidos, os dois maiores produtores de etanol, assinaram no mês passado um acordo para trabalhar juntos no desenvolvimento da tecnologia e no estabelecimento de padrões para o comércio do combustível. O chefe da AIE disse que o trabalho conjunto entre EUA e Brasil levará ‘biocombustíveis de segunda geração para o mercado, tomara que mais rápido que o previsto’.

Anúncios

Um comentário sobre “Mundo precisa de várias tecnologias para combater aquecimento

  1. Pensamos que o problema do nosso planeta deva melhorar com o tratado assinado por quase todos os países (com excessão do EUA) o Protocolo de Kyoto: esse tratado diz que até certo ano deva diminuir em 5,6% a emissão de gases no planeta. Esperamos que isso realmente aconteça pois futuramente nossos filhos que sofrerão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s