Revelando Brasis inicia caravana que vai exibir curtas do projeto em 61 cidades

Bianca Kleinpaul – O Globo Online

O ator Danton Mello apresentou o projeto Revelando os Brasis na cidade de Muqui, no Esp�rito Santo/ Foto Murillo Tinoco - Divulgação

MUQUI (ES) – “Tá feliz seu Brilhantino?”, quis saber uma curiosa. “Por que tá me perguntando isso? Ué, você não veio me aplaudir?”, respondeu de pronto o personagem do curta mais esperado da noite. João José Brilhantino, de 70 anos e 30 deles vividos numa caverna, dá nome ao vídeo de Ériton Berçaco que abriu a Caravana Revelando Brasis este fim de semana. O vídeo de 15 minutos já percorreu festivais nacionais e internacionais, como Berlim, e agora deu o pontapé da última etapa do projeto do Ministério da Cultura, que incentiva a produção de filmes realizados por moradores de cidades sem uma sala de cinema sequer.

Esta etapa do Revelando os Brasis começou na quinta-feira em Muqui, cidade a 3h30 de Vitória, Espírito Santo, e terra natal de Brilhantino. Além do curta sobre a história deste senhor que, depois de perder suas terras se recusou ir embora e passou a morar em uma caverna na sua antiga propriedade, foram exibidos “O sonho de Loreno” (Mantenópolis – ES); “Bate-Paus” (Vila Pavão – ES); e “O último tocador” (São Roque do Canaã – ES).

A praça central da cidade estava lotada de curiosos. Alguns deles nunca tinham ido a um cinema.

– Nunca vi uma tela assim – dizia Maria Isabel Fernandes, uma das muquienses que se aglomeravam na praça ou janelas das casas coloniais da cidade para ver os curtas produzidos por espírito-santenses.

Ériton Barçoca e seu Brilhantino na projeção do curta 'Brilhantino', em Muqui, no Esp�rito Santo/ Foto Murillo Tinoco - Divulgação

Outra encantada em ver uma tela de cinema era a mãe do realizador do filme “Brilhantino”. Ela chegou a ir em um dos dois cinemas que a cidade de Muqui já teve, mas há 30 anos não via nada parecido em Muqui.

– Com a chegada da TV nos anos 70 o público foi indo embora dos cinemas e a única sala da cidade fechou as portas – contava o filho Ériton, formado em Letras que, depois da experiência com o Revelando os Brasis, agora tem o desejo de fazer uma mostra de filmes em Muqui todo ano.

Ériton ao lado de seu Brilhantino dividiram a atenções da noite de inauguração da caravana com o ator Danton Mello, que apresentou o projeto na cidade. Para ele, o retorno das produções às cidades de origem tem forte carga simbólica.

– É quando o povo se vê na tela. É um barato e muito emocionante – disse o ator.

De Muqui, a caravana com o pequeno caminhão munido da grande tela e um projetor, seguiu para Vitória (sexta) e Mantenópolis (sábado). O circuito termina em São Roque do Canaã e Vila Pavão. Na quinta-feira recomeça na Bahia, depois Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e mais outros estados do Nordeste e do Norte.

Outro caminhão faz o segundo circuito a partir de Minas Geraes esta semana. Na segunda-feira chega à capital do Rio de Janeiro (com provável exibição no Complexo da Maré) e depois parte para Cordeiro, com destino a São Paulo, sul do Brasil e Centro-Oeste.

Dois moradores de comunidades carentes do Rio formados no curso de fotografia do projeto do Observatório das Favelas estão acompanhando os dois circuitos. As imagens desta viagem de mais de 25 mil quilômetros farão parte de um livro sobre o Revelando os Brasis.

Para o secretário do Audiovisual Orlando Senna, esta etapa do projeto “ganha sentido e se completa” com as exibições dos filmes nas cidades. Mas os maiores frutos recolhidos são os “pequenos produtos” surgidos depois da seleção de textos e os cursos de cinema e vídeo para os participantes, que concluem seus filmes para serem exibidos nas TVs públicas, festivais e no próprio circuito do Revelando os Brasis.

– Alguns deles estão caminhando para inaugurarem seu primeiro cineclube na cidade, há grupos de cinema se formando e até um rapaz foi estudar cinema na universidade do Rio – contou Senna. – A idéia não é formar cineastas. Se dali surgir algum cineasta, é lucro.

Anúncios

Um comentário sobre “Revelando Brasis inicia caravana que vai exibir curtas do projeto em 61 cidades

  1. Gostei muito do texto.
    Eu sempre gosto de saber um pouco mais sobre a história de muqui e do Brilhantino também.
    Apoio a idéia do Éritom de fazer uma exibição de filmes em muqui anualmente.
    Continuem falando de Muqui e contem mais da história da Matriz e também do Antigo Colégio de Muqui.
    Valeu!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s