Boticário nega uso de corante proibido em cosméticos

Do Público.pt

Boticario(3)

A marca de cosméticos e de higiene corporal Boticário, comercializada em Portugal pela empresa Tudo Azul, negou hoje que alguns produtos mandados retirar do mercado pela Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) contenham um corante proibido, o CI 20170.

O Infarmed ordenou hoje a retirada do mercado de alguns produtos cosméticos e de higiene corporal, cujo uso representa perigo para a saúde pública devido à presença de substâncias proibidas.

Exprimindo “espanto” e “indignação” pela notícia sobre seus produtos mandados retirar pelo Infarmed e alegando o “controle rigoroso de qualidade” da marca, o Boticário sublinha que os três produtos da marca referidos e que estão no mercado “não contêm o corante CI 20170, conforme informação na posse do Infarmed desde março de 2007”.

O Boticário esclarece ainda que tal fato “pode ser constatado na rotulagem dos mesmos nas lojas da marca”. Confrontada com a reação do Boticário, uma fonte do Infarmed comprometeu-se a prestar esclarecimentos, logo que possível.

Na lista estão os produtos da marca Boticário “Egeo Woman EDT”, “Egeo Man EDT” e “Linda EDT”, comercializados pela empresa Tudo Azul — Comércio de Produtos Naturais S.A., por incorporarem o corante proibido CI 20170.

Também vai ser retirado o produto “Face Antiaging 10 viales”, da marca Simildiet, comercializado pela firma com o mesmo nome, por incluir na sua composição as substâncias ácido retinóico (derivado da vitamina A) e calciferol (vitamina D).

Segundo fonte do Infarmed, todas as substâncias com características químicas ou de toxicidade que não justifiquem a sua utilização como cosmético são proibidas ou a sua utilização é restringida a determinadas quantidades.

Os produtos “Cera Liposolúvel com dióxido de titânio 400ml” e “Roller com dióxido de titânio-corpo 100ml”, da marca Albanevosa e comercializados pela firma MC Paz, Ldª, serão recolhidos devido à presença do corante CI 12150.

Da firma Rui Romano SA terão de deixar de ser comercializados os produtos “Framcolor Futura”, “Framcolor 221”, “Framcolor 2001”, da marca Framesi, e “Tigi-Moisture Maniac Shampoo”, da marca Tigi. Nos produtos da marca Framesi foi detectado 2,3-naftalenodiol e no produto da marca Tigi o corante CI 20170.

Também está previsto o recolhimento das “Ampolas Bioflash NCTC”, da marca Mesostetic e comercializado pela firma Mesostetic SL, por se ter detetado calciferol na composição do produto.

O Infarmed deu um prazo de dez dias às empresas responsáveis pela colocação no mercado nacional dos produtos para proceder à retirada de todas as embalagens. O organismo aconselhou ainda aos profissionais e o público em geral que tenham adquirido ou que estejam a utilizar os produtos em causa para deixarem de os usar e a denunciar a manutenção da sua venda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s