519/ Centro do Rio de Janeiro entregue aos bandidos

Renato Grandelle para o Jornal do Brasil

215241

foto: Latuff

Quatro horas da tarde. Um turista de meia-idade passeia pela Praça XV. Distraído, mira a máquina fotográfica para o Paço Imperial. Poucos metros à frente, um adolescente começa a correr. Passa pelo turista, pega a sua máquina e foge em direção a um gramado, que leva para o mergulhão. Um taxista resolve segui-lo, mas não vai muito longe. Recupera a máquina, quebrada durante a perseguição.

Cenas como esta, que aconteceu durante a semana passada, multiplicam-se no centro histórico carioca. A expectativa de mudanças com a transformação do local em pólo turístico, em dezembro do ano passado, já passou. A degradação do patrimônio arquitetônico salta aos olhos, assim como as estatísticas de criminalidade. Desde o início do ano, o número de roubos aumentou 67%, e o de furtos, 56,9%. Segundo os comerciantes, o patrulhamento comunitário, antes disponível para todas as ruas em volta da Praça XV, agora se restringe às proximidades da Igreja da Candelária.

– A polícia alegou falta de efetivo para acabar com as rondas a pé – denuncia Daisy Ketzer, coordenadora do Comitê de Revitalização do Centro Histórico e representante da Associação Comercial do Rio no pólo. – Temos problemas com batedores de carteira e ladrões de cabos de luz. Voltamos à estaca zero em crimes cujas ocorrências haviam caído 80%. Sem segurança, também não há ordem urbana.

Moradora do Centro, a professora Fernanda de Alcântara, que costuma passear pelo bairro nos fins de semana, concorda:

– O turista, quando resolve fazer um roteiro cultural pela cidade, encontra um contraste horrível – lembra. – Este abandono nada tem a ver com os cartões-postais do Rio.

Perto de Fernanda, um mendigo procura sobras de comida em dezenas de sacos de lixo que se acumulam em frente ao Arco do Teles. A cena também é criticada pelo engenheiro Antônio Carlos:

– O Centro está completamente degradado. Existe uma lixarada imensa em frente ao Tribunal de Justiça. Não vejo ninguém combatendo estes problemas.

Dois adolescentes, que acompanham Antônio Carlos, estão entre os 20 skatistas que andam pela Praça XV. O esporte é proibido no local, por danificar o patrimônio histórico. Dois guardas municipais tentam, sem sucesso, alertar o grupo.

– Sou ameaçada por eles todos os dias – confessa uma guarda. – Nosso efetivo é muito pequeno, ainda mais depois que passamos a ser responsáveis pelo trânsito no Centro. E a Polícia Militar, que poderia nos ajudar, está sempre ocupada com outra ocorrência.

Um skatista, ao ver de longe os esforços dos guardas, debocha:

– Eles não podem fazer nada. Estamos aqui há 10 anos. Não é agora que vão nos tirar.

Sob os sinais fechados do Centro, mais problemas para Guarda e PM. A esquina das avenidas Presidente Vargas e Primeiro de Março é a preferida dos bandidos. É o limite entre a área que seria quase sem policiamento e aquela em que o 13º BPM (Praça Tiradentes), graças a um trailer bancado pelo Centro Cultural Banco do Brasil, tem presença mais ostensiva.

– A diferença é visível – conta o comerciante Roosevelt Alessandro, também morador do Centro. – Do lado sem policiamento, vemos até mendigos agredindo turistas. Do outro, tudo é mais seguro e preservado.

A Guarda Municipal nega ter reduzido o efetivo no Centro. A corporação tem cerca de 400 agentes no bairro – a conta não inclui aqueles vinculados ao grupamento de trânsito. O patrulhamento na Praça XV, também de acordo com a Guarda, é feito 24 horas por dia.

O comando do 13º BPM (Praça Tiradentes) não retornou as ligações feitas pelo JB.

Blogvisão: Quando vai ser que o Sr. Sérgio Cabral assume o Governo do Estado? 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s