553/ O que saber para comprar um notebook?

Por Redação PC WORLD (EUA)

notebook

 

A maior vantagem dos computadores portáteis – notebook ou laptop, como queira – é poder utilizá-lo em praticamente qualquer lugar.

Portabilidade e bom desempenho têm feito desses equipamentos parte da vida diária de milhões de pessoas, e mesmo os modelos mais baratos trazem configurações interessantes para o trabalho cotidiano.

Para ajudar a encontrar o equipamento mais adequado às suas necessidades, PC WORLD detalha os componentes fundamentais desses sistemas, as características mais críticas e o que se deve levar em conta na hora dês escolher um desses objetos de desejo, cada vez mais úteis.

Especificações gerais

Os fatores a considerar na escolha de um notebook vão além do desempenho (importante para quem demanda grande capacidade de processamento) e conexões disponíveis.

É preciso verificar outras características, como tamanho, peso, dimensões da tela, duração da bateria, qualidade do teclado e opções extras, como exemplo Bluetooth e conexão com rede wireless.

Processador
Modelos com chip Dual Core ou Core 2 Duo, da Intel, têm elevado o desempenho dos notebooks.

Em nossos testes, os portáteis com processadores de dois núcleos mostraram desempenho consideravelmente superior ao registrado pelos sistemas com processadores de um núcleo, particularmente em aplicações multitarefas.

Ainda na categoria de processadores de dois núcleos, o Athlon Turion 64 X2, da AMD, é uma boa opção para o usuário que procura desempenho.

Para usuários que não exigem tanta capacidade de processamento, laptops que trazem o processador Celeron M (Intel), não fazem feio.

Memória
A menos que queira um equipamento sistema muito barato, a maior parte dos notebooks vem com 512 MB de memória RAM, mas é cada vez mais comum ver modelos cuja configuração básica já traz 1 GB.

Lembre-se que uma boa quantidade de memória ajuda a aproveitar o equipamento por mais tempo.

Memória de vídeo
Reserve ao menos 128MB de RAM para aplicações gráficas e assegure-se de que esta parcela da memória não seja compartilhada com memória principal. Chama-se a isso de tecnologia dinâmica de memória de vídeo.

Gamers devem procurar por placas gráficas que trabalhem melhor com gráficos 3D, como a GeForce Go 7900 GTX, na qual a memória pode alcançar até 512 MB dedicados.

Alguns notebooks até oferecem a tecnologia SLI, que utiliza mais de um chip gráfico. Não precisamos dizer que esses dispositivos tornam o portátil mais caro.

Tela
É cada vez mais comum ver laptops com telas maiores, muitos seguindo o padrão wide screen para facilitar a visualização de planilhas e filmes.

Mesmo quem procura preço baixo pode se dar ao luxo de ter uma delas. Modelos com tela de 14,1 polegadas e 15,4 polegadas no formato wide podem ser encontrados abaixo de mil dólares.

Os modelos com telas maiores, a partir de telas de 17 polegadas, ainda são caros e os tradicionais equipamentos com display quadrado, de 14,1 polegadas e 15 polegadas, estão menos populares. Isto pode resultar em alguma oferta mais em conta, se o tamanho da tela não for condição imperativa.

Bateria
Tudo bem que uma boa parcela dos usuários de computadores portáteis trabalha mesmo é com o equipamento ligado à tomada.

Isso não impediu, contudo, que os fabricantes continuem a trabalhar para oferecer laptops com baterias com mais autonomia.

Lembre-se que os processadores mais potentes tendem a drenar mais carga. Se você realmente precisa estar desconectado da rede elétrica – durante um vôo internacional, por exemplo –, considere comprar baterias adicionais.

Teclado e mouse

O usuário tende a se acostumar a qualquer teclado, mesmo que isso possa demorar um pouco. Modelos importados não trazem teclado em português e isso é um grande incômodo para quem precisa digitar relatórios extensos.

Verifique se o teclado atende suas necessidades, teste o equipamento para ver se aquele teclado compacto não se tornará um estorvo no dia-a-dia.

Essas considerações também se aplicam para o dispositivo apontador que o portátil oferecer, seja trackpoint ou touchpad.

Teste a sensibilidade de cada um deles e verifique se eles realmente atendem suas necessidades.

Alguns desses dispositivos são tão difíceis de usar que é comum ver usuários de laptops carregando seu próprio mouse para cima e para baixo.

Drives ópticos e outros
Os notebooks comercializados formalmente no Brasil só recentemente passaram a oferecer drives de DVD regraváveis como opção básica. Muitos modelos ainda travem apenas drives de CD regraváveis, alguns com capacidade para reproduzir DVDs.

Mais difícil ainda é encontrar um modelo que ofereça unidade de disquete (cada um sabe a necessidade que tem e, se for o caso, utilize um acionador externo, que você pode conectar via USB). Sistemas com drives HD DVD ou Blu-ray ainda são objetos de desejo.

Mas este é um investimento que vale a pena e que, com certeza dará uma sobrevida maior ao seu computador. Gasta uns reais a mais e escolha um modelo que possa gravar DVDs.

Disco rígido
Talvez você não precise de espaço, mas os discos rígidos dos portáteis vêm aumentando sua capacidade. Os equipamentos mais em conta vêm com discos de 60 GB e modelos com discos maiores – 100 GB ou 120 GB, por exemplo –, padrão SATA, são muito mais caros.

Felizmente, esse é um dispositivo que pode ser trocado facilmente mais tarde, caso você precise de um HD mais poderoso.

Peso e design
Notebooks que substituem desktops em todos os aspectos podem facilmente chegar a 7 quilos (com bateria e adaptador AC). Por 3,5 kg a 4 kg, você terá um modelo all-in-one, com interfaces e drives embutidos.

Já os chamados ultraportáteis, com pouco menos de 1,5 kg, conseguem essa façanha ao eliminar do corpo do equipamento a maior parte dos drives, oferecidas externamente.

A conta aqui é bem simples: máquinas completas são grandes, pesadas e caras; máquinas mais leves são caras e nem sempre oferecem todos os drives no chassi do equipamento; equipamentos intermediários apresentam um bom equilíbrio entre capacidade de processamento, peso e preço.

Conectividade
Poucos laptops vêm com um pleno jogo de portas extras. Entradas como PS/2 (teclado e mouse externos) são raros, assim como infravermelhos. A maioria tem porta paralela e muitos já incluem conexão para cartões de memória flash e leitores ExpressCard.

Há modelos que trazem saída DVI para ligar num LCD externo e, quase padrão, muitos têm ao menos duas portas USB 2.0 (alguns quatro e, bem poucos, seis portais).

Equipamentos com  porta FireWire (IEEE 1394) oferecem taxas de transferência mais altas e servem para ligar um disco externo, player de MP3, ou uma filmadora.

A interface FastEthernet para redes é padrão em todos os modelos, com vários já oferecendo o padrão de 1 GigabitEthernet.

Alguns modelos trazem comunicação por Bluetooth e os portáteis com processador de dois núcleos inclui comunicação WiFi padrão 802.11a/b/g.

No momento da compra
Antes de fazer o cheque ou sacar seu cartão de crédito, considere os tipos de uso do laptop.

Se o objetivo é processamento de planilhas de cálculos e textos, enquanto o programa de e-mail fica aberto, um modelo Dual Core com tela de 14,1 polegadas e 40 GB de disco está na medida certa. 

Tenha em mente que alguns modelos mais baratos desprezam características que podem ser interessantes para sua utilização.

Diferentemente dos desktops, somente alguns componentes (como memória e disco rígido) podem ganhar um upgrade. Outros (como placa gráfica) vêm instalados de fábrica (on board) e são permanentes.

Quanto mais memória o laptop tiver, mais aplicações você pode rodar ao mesmo tempo e o desempenho também será melhor. Um upgrade de memória em um computador portátil é um pouco mais difícil do que em um desktop, portanto é melhor comprar um modelo com a maior quantidade de memória que seu bolso permitir.

Despreze modelos com menos de 512 MB. Se puder comprar um com 1 GB, vá em frente.

A CPU (em conjunto com a memória disponível) é que determina o desempenho em que as aplicações serão executadas. Processadores de dois núcleos são escolhas adequadas para quem busca mais capacidade de processamento.

O tamanho da tela (que é medida na diagonal) é o terceiro item dos chamados ‘muito relevantes’ em um notebook. Displays mais largos e com resolução maior permitem que se veja mais informações ao mesmo tempo. Se o orçamento permitir, opte por um modelo com tela wide screen.

A não ser que o portátil seja utilizado para armazenar um grande número de informações multimídia (vídeos, imagem, som) ou dedicado a aplicações gráficas cujos arquivos geralmente são enormes, um HD de 80 GB dá conta do recado. Uma dica: em vez de comprar um HD enorme, opte por trocar o drive óptico por um que permita gravar DVDs.

As portas oferecidas pelo notebook não chegam a ser os principais culpados por um preço final maior. Entretanto, só os modelos mais completos e que costumar oferecer esses componentes em maior número. Ou seja, quanto mais, melhor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s