771/ Alunos de arquitetura fazem maratona a partir de amanhã

Do BemParaná

Os 200 estudantes do curso de Arquitetura da UFPR  participarão nesta quinta e sexta-feira de uma espécie de gincana desenvolvendo projetos de construção com madeira.

Pela primeira vez será realizada uma “charrete” – evento muito comum no passado nas escolas de Arquitetura da França. Será sorteada uma tarefa e os universitários têm prazo de 24 horas para executá-las.

Eles irão passar a madrugada  nos laboratórios desenvolvendo projetos que utilizem a madeira nas construções. Depois de prontos os trabalhos serão julgados por uma comissão de professores.

Queremos incentivar o uso da madeira nas novas construções porque é um recurso renovável. Outra vantagem  para o meio ambiente é a liberação de carbono destacou a professora Andréia Berriel. “A única forma de uma floresta continuar liberando carbono é utilizar a madeira. De acordo com a professora, este conceito de que a madeira está em extinção é errada e é essa idéia que o Departamento de Arquitetura quer mudar a partir de agora. Desde que sejam feitos novos plantios de árvores será a forma correta de manter o meio ambiente.

A charrete está programada para começar no fim da tarde de quinta-feira e vai até a sexta-feira.  No sábado dia  11,  das 8h às 12h será realizada a avaliação da produção desenvolvida pelos alunos e discussão com premiação das  equipes vencedoras. Os trabalhos ficarão expostos no Centro Politécnico onde ocorre o evento.

A charrete será precedida de palestras sobre a importância da madeira para o equilíbrio ambiental. Nesta quinta-feira das 8 às 12 horas haverá palestra com dois dos mais destacados profissionais da arquitetura brasileira, o arquiteto Hélio Olga e Henrique Pina,  defensores da utilização da madeira  tropical em obras civis. Será no auditório do curso de Arquitetura. O evento “Arquitetura da Madeira, material renovável, tecnologias para o século XXI”, tem a finalidade de propor sugestões que não agridam o meio ambiente.

A Charrete era uma prática usual dentro da Escola de Belas Artes francesa. Os mestres lançavam um tema relâmpago para os estudantes de Arquitetura e eles tinham 24 horas para desenvolvê-lo, o que podia ser feito dentro dos ateliers – geralmente de arquitetos renomados da época onde trabalhavam e, ao final das 24 horas, uma charrete ia passando e recolhendo os trabalhos. Ao ouvir a charrete se aproximar, ocorria um reboliço geral na tentativa de finalizar o trabalho e entregá-lo a tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s