828/ O "hacker" que descobriu tudo

ARMANDO RAFAEL para o Diário de Notícias.pt+IParaíba

virgilgriffith

Virgil Griffith tem apenas 24 anos, mas já é uma celebridade entre os hackers dos EUA há, pelo menos, quatro anos. Nessa altura foi processado por ter entrado nos arquivos da Blackboard, roubando-lhes alguns segredos.

Nascido no estado de Alabama, à semelhança do que sucedeu com o fundador da Wikipedia (Jimmy Wales), Virgil Griffith, que ainda há pouco dava conferências a hackers na Internet, volta a estar em evidência. Desta vez, por boas razões, já que foi ele que criou o Wikipedia Scanner.

Este software permite detectar, de uma forma elaborada e sistemática, quais foram os computadores utilizados para editar ou alterar os textos disponíveis naquela enciclopédia online.

Tudo isto poderá ter uma aplicação muito além da Wikipedia, que foi criada com apenas três textos, como “Jimbo” Wales recordava há dias, em declarações ao Washington Post. “Era uma péssima enciclopédia.”

Pessoas usando computadores instalados na agência de inteligência dos Estados Unidos (CIA) e na polícia federal do país (FBI) editaram verbetes da Wikipedia sobre tópicos que incluem a guerra no Iraque e a prisão na baía de Guantánamo, de acordo com um novo programa de rastreamento.

As alterações podem violar as normas da Wikipedia quanto a conflitos de interesse, declarou uma porta-voz do site na quinta-feira.

O programa WikiScanner, desenvolvido por Virgil Griffith, do Santa Fe Institute, no Novo México, foi publicado em um site este mês e rapidamente atraiu volume esmagador de visitas.

O software permite que usuários rastreiem a localização de computadores usados para alterar verbetes na cada vez mais popular enciclopédia online, para a qual qualquer pessoa pode submeter verbetes e contribuir com alterações.

O WikiScanner revelou que computadores da CIA foram utilizados para editar um verbete sobre a invasão do Iraque por uma aliança liderada pelos Estados Unidos, em 2003. Um gráfico sobre as baixas foi revisado para informar que muitos dos números eram estimativas e não estavam separados por classe.

Outro verbete, sobre William Colby, antigo diretor da CIA, foi editado por computadores da agência de inteligência para expandir a história de sua carreira e discutir os méritos de um programa de pacificação rural que ele comandou durante a Guerra do Vietnã.

Imagens aéreas e de satélites da prisão norte-americana para suspeitos de terrorismo na baía de Guantánamo, Cuba, foram removidas usando um computador que o WikiScanner rastreou como sendo do FBI.

George Little, porta-voz da CIA, disse que não podia confirmar se máquinas da agência foram usadas nas mudanças, acrescentando que “a agência espera sempre que seus computadores sejam usados de maneira responsável”. O FBI não reagiu de imediato.

Computadores de numerosas outras organizações e empresas aparentemente também estão envolvidos na edição de artigos relacionados a elas. Griffith disse que criou o WikiScanner “para criar pequenos desastres de relações públicas para organizações e empresas de que não gosto (e) ver o que ”organizações interessantes” (diante das quais sou neutro) estão aprontando”.

O WikiScanner estava disponível na quinta-feira em http://wikiscanner.virgil.gr, mas nesta sexta-feira o site estava fora do ar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s