880/ CPMF é o pior tributo já inventado, diz ex do FMI

Do DiarioNews

First Deputy Managing Director Anne Krueger

A ex-mulher forte do FMI Anne Krueger classificou a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), que o governo quer prorrogar por mais quatro anos, como um dos “piores tributos” já inventados.

Chamou de “inacreditável” o depósito compulsório de 45% sobre os depósitos à vista. Afirmou que “alguma coisa vai mal” na economia brasileira, que tem carga tributária de quase 35% do PIB, mas não consegue fazer com que o nível do crédito cresça em relação ao PIB –hoje, o crédito está em 36%.

“Há países que não têm recursos para investir. Não é o caso do Brasil. O governo arrecada tributos que representam uma elevada porcentagem do PIB, mas há algo de errado, pois não se sabe para onde vai esse dinheiro. O ideal seria que o governo fizesse um uso melhor dos recursos públicos”, disse.

Para Krueger, o crédito é um indicador importante que precisa ser melhorado no sistema financeiro brasileiro. “Os bancos trabalham com um ‘spread’ [diferença entre juros captados e repassados ao consumidor] imenso. Há uma série de indicadores e práticas do mercado que precisam ser melhoradas”, disse, em encontro sobre mercado financeiro em Campos do Jordão, interior de SP.

Mais do que a crise nos mercados, o primeiro debate entre os economistas brasileiros no congresso da BM&F centrou sua discussão na alta carga tributária como impedimento de médio e longo prazos para o desenvolvimento do país.

O ex-ministro das Comunicações Luiz Carlos Mendonça de Barros disse que o governo Lula perde uma oportunidade única de baixar a carga tributária sem um alto custo para a sociedade e a economia.

“Só haverá reforma tributária se diminuírem os gastos federais. Não adianta falar em reforma tributária com a criação, por exemplo, do IVA [Imposto sobre o Valor Agregado] porque ele teria de ter alíquota de 50%, e ninguém vai querer cobrar 50% a mais do consumidor”, disse.

Barros afirmou que essa omissão terá seu preço em um futuro não muito distante, quando o país não tiver as mesmas condições favoráveis para manter um crescimento de 4% a 5% ao ano.

Já o ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco fez uma longa exposição sobre o passado de inflação da economia brasileira e centrou sua apresentação nas travas para o desenvolvimento econômico. Ele defendeu uma maior inserção do país no comércio internacional, com ganhos de eficiência e produtividade.

Anúncios

Um comentário sobre “880/ CPMF é o pior tributo já inventado, diz ex do FMI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s