967/ Papa critica ‘teologia obcecada com ciência’

Do G1

foto; Heinz-Peter Bader/Reuters

papabentoXVI2

Papa cumprimenta crianças no caminho para a missa na Catedral de São Estevão, em Viena

O Papa Bento XVI visitou neste domingo (9) o mosteiro cisterciense de Heiligenkreuz, nos arredores de Viena, no último dia de sua viagem à Áustria.

Durante a visita, o Pontífice aproveitou para ressaltar a importância da prece, e disse que todos os cristãos devem rezar, “ou pelo menos tentar fazê-lo”. Bento XVI alertou ainda que “quando a teologia tem obsessão em ser reconhecida como uma atividade científica rigorosa, pode perder o sentido da fé”.

O mosteiro, situado a 30 quilômetros da capital austríaca, foi fundado em 1135 por Leopoldo III, a pedido de seu filho Ottone que tinha entrado na ordem. Atualmente, Heiligenkreuz acolhe 80 monges, além de uma faculdade de teologia com 100 alunos.

Assistiram ao encontro com o Papa, entre outros, os professores e alunos da faculdade, diante dos quais Bento XVI manifestou “que com a ânsia em ter uma rigorosidade científica reconhecida no sentido moderno, a teologia pode perder o sentido da fé”.

“Como uma liturgia que esquece o olhar em direção a Deus, uma teologia que perde o sentido da fé deixa de ser teologia e acaba reduzindo-se a uma série de disciplinas mais ou menos relacionadas entre elas”, disse o Papa, que também é teólogo.

Bento XVI disse também que, para uma chamada ao sacerdócio ser mantida durante toda a vida, é necessário haver uma formação que integre “fé e razão, coração e mente, vida e pensamento”.

O Pontífice explicou que, onde a dimensão intelectual se descuida, “surge muito facilmente uma forma de obsessão que vive quase exclusivamente de emoções e estados de espírito que não são mantidos durante toda a vida”.

“E onde a dimensão espiritual se descuida, é criado um racionalismo rarefeito, frio, que jamais pode levar a uma entusiasmada entrega a Deus”, acrescentou o Papa.

Bento XVI destacou o trabalho monástico ao longo da história, que disse “ter como base a adoração”. Antes disso, falou ainda que Deus merece ser adorado, e que um mosteiro é um lugar de força espiritual.

O mosteiro de Heiligenkreuz é considerado o berço da ordem cisterciense na região da Baixa Áustria (nordeste do país). Em 1683, o mosteiro foi destruído pelos ataques otomanos à Viena, e sua biblioteca foi queimada. Depois de reconstruído, ele ganhou algumas partes em estilo barroco. Durante o nazismo, entre 1938 e 1945, o local foi desapropriado, e muitos monges foram presos.

Após esta visita, o Papa se reuniu com representantes do voluntariado, muito ativo na Áustria, no último ato de sua viagem de três dias ao país. O Pontífice agradeceu aos voluntários pelo seu trabalho, e disse que o amor ao próximo é intransferível, e que o Estado e a política não podem substituí-lo.

“Por isso, vocês, voluntários, não são um ‘remendo’ na rede social, mas pessoas que contribuem para a face mais humana e cristã de nossa sociedade”, declarou o Papa.

Bento XVI reafirmou as exigências pela justiça, pela defesa da vida e pela preservação da natureza.

O Papa disse que o amor é gratuito e que não é exercido tendo outros objetivos em vista. Além disso, falou que o bem comum e a sociedade “não poderiam, não podem e não poderão” perdurar sem o compromisso dos voluntários.

O Pontífice afirmou também que o homem é muito mais que um simples fator para ser avaliado segundo critérios econômicos. Neste domingo, antes da visita ao mosteiro de Heiligenkreuz, o Papa celebrou uma missa na Catedral de São Estevão, em Viena, que foi acompanhada por 15 mil pessoas. A maioria delas estava fora do templo, sob uma incessante chuva.

Durante a homilia, Bento XVI reivindicou o domingo como o “dia do Senhor”, e denunciou que este dia se transformou em um mero “fim de semana” na sociedade ocidental. Acrescentou ainda que, embora o tempo livre seja necessário, “se não tiver um foco, que é o encontro com Deus, acaba sendo um tempo perdido”.

Anúncios

Um comentário sobre “967/ Papa critica ‘teologia obcecada com ciência’

  1. é curioso que o papa “perdoou” o galileu seculos depois de morto, apareceu na midia e ridicularizou o cristianismo, ou ele é um total retardado ou queria zombar dos otarios que seguem sua religião. Pra mim ele é um edir macedo. Uma igreja que queima pessoas vivas, mente tem parte com a mafia e era contra a cultura pois pessoas sabidas são mais dificeis de dominar. uma boa forma de perseguir o cristianismo é se dizer cristão e fazer o mal para sujar Deus. que dizer da bomba atomica de hirochima que matou até bebes numa cidade com muitos cristãos e bush fazendo guerra em nome de Deus, e dizendo que os russos são ruins na frente do presidente da russia Jesus disse que são muitos os chamados (cristãos de nome) e poucos os escolhidos (de verdade) olha na foto a espressão estranha do papa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s