918/Mamografia x ressonância:polêmica sobre o melhor exame para detectar câncer de mama

Tatiana Clébicar – O Globo Online

No início do mês, uma pesquisa realizada pela Universidade de Bonn, na Alemanha, provocou polêmica. O estudo, envolvendo 7,3 mil mulheres, concluía que a mamografia não era capaz de detectar 56% dos cânceres de mama em estágio inicial enquanto a ressonância magnética, um exame de oito a dez vezes mais caro, deixou de indicar os tumores em apenas 8% dos casos (ver 794/ Exame de mamografia é ineficaz em 50% dos casos) .

Na Semana Nacional de Prevenção ao Câncer de Mama, especialistas em mastologia, oncologia e saúde pública explicam por que a mamografia continua sendo o melhor exame para a mulher prevenir a doença — que tem cura, mas por causa do diagnóstico tardio deve matar 12 mil mulheres este ano.

– Os alemães desenvolveram esta tecnologia mais a fundo e, por isso, costumam defender a ressonância magnética. Mas em outros países a mamografia ainda é o padrão-ouro para diagnóstico do câncer de mama – explica o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia, Diógenes Basegio.

Segundo ele, a ressonância é um exame mais sensível do que a mamografia , porém menos específico. Ele é útil na detecção de tumores em mamas densas – de pacientes jovens ou submetidas a radioterapia – e com prótese de silicone. No entanto, não é capaz de distinguir o potencial de malignidade da lesão.

– Por seu alto custo, o Sistema Único de Saúde não paga a ressonância como screening (rastreamento) do câncer de mama. E nós temos defendido isso porque ela é útil para um grupo da população.

O mastologista Antonio Carlos Jardim acrescenta que a ressonância magnética deve ser usada como exame complementar ou nos grupos em que a mamografia não será tão eficaz.

– As mulheres abaixo de 45 anos ainda têm as mamas densas e em 10% a 15% dos casos a mamografia não será eficaz.

Ela funciona comparando a densidade dos tecidos. E os tumores são mais densos do que os tecidos saudáveis – explica ele, que recomenda a ressonância como um tira-teima.

Quando há dúvidas, a ressonância é espetacular porque possibilita a visualização em cortes seriados em diversos planos. É como se fatiassem a massa estranha. Além disso, numa segunda etapa, é injetado um contraste. A curva de captação da substância indica se o tumor é benigno ou maligno.

Ressonância tem alto índice de falso-positivo

Para o oncologista clínico e sanitarista Ronaldo Corrêa, técnico da Coordenação de Prevenção do Instituto Nacional do Câncer (Inca), ainda é cedo para se atestar as vantagens da ressonância magnética. Segundo ele, a taxa de resultado falso-positivo na ressonância é alto.

– A ressonância tem mais chance de identificar algum problema, mas esse problema pode não ser câncer.

Não há estudos que avaliem o exame e a redução da mortalidade – explica acrescentando que o estudo alemão se referia ao câncer ductal in situ, um tipo de lesão pouco agressiva.

– Isso pode levar a um tratamento exagerado. Por exemplo, uma mulher em torno dos 42 anos recebe um resultado de uma ressonância indicando uma lesão deste tipo.

Ela poderia acompanhar a evolução do tumor e ser tratada de uma forma conservadora ou optar pela retirada da mama.

Como a maior parte das mulheres ainda associa o câncer de mama à morte, provavelmente a maioria optaria por retirar a mama, também correndo os riscos da cirurgia. A chance de a ressonância provocar alarmismo e pânico é maior.

Ele pondera que há duas maneiras de ver a questão: no âmbito da saúde pública e no da individual.

Em sua opinião, do ponto de vista da saúde coletiva, não faria o menor sentido oferecer um exame muito mais caro, mais lento e que necessita de um espaço físico maior sem ter a certeza de que isso trará impacto para a redução da mortalidade.

Já no plano individual, médico e paciente devem discutir as vantagens e as desvantagens da realização do exame.

_uacct = “UA-2543540-1”;
urchinTracker();

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s